quinta-feira, 18 de abril de 2013

Rivais eternos - Sporting e Benfica


"Success is to be measured not so much by the position that one has reached in life as by the obstacles which he has overcome."
Booker T. Washington

Vivemos momentos de expectativa no Sport Lisboa e Benfica. Porque a algumas semanas de fechar a época 2012/2013, podemos fazer História. Estamos à beira de vencer, numa época, a Taça de Portugal, o Campeonato e a Liga Europa.

Sentimos que estes dias podem ficar marcados na vida do nosso clube como outros na altura dos nossos pais e avós. Daqui a 20 ou 30 anos, os nossos filhos vão poder ouvir da nossa boca as estórias deste tempo, as jogadas, os golos, as vitórias, os momentos de angústia e as memórias que sobreviverão ao teste do tempo.

E isso alegra-nos o coração, faz-nos sentir arrepios na espinha e pele de galinha. Temos 9 jogos pela frente, dizem que são 9 finais para vencer...

A começar pelo jogo com o nosso rival de sempre. O leão, ferido pelos seus próprios erros, tem feito uma época lamentável, triste, frustrante. Leva 34 pontos de atraso para o Benfica, luta desesperado por chegar a um lugar que dê acesso ao balão de oxigénio chamado Liga Europa. Muitos jogadores sabem que na próxima época vão sair, por serem muito caros ou porque são a salvação financeira de curto-prazo para o clube. E se os resultados financeiros dos 3 grandes são medíocres, a situação de curto-prazo do Sporting é asfixiante e não augura nada de bom para os próximos tempos.

Não sou pessoa de fazer apostas mas se há alguma certeza é que independentemente da situação actual de cada um dos rivais, o derby é sempre uma caixinha de surpresas. Sempre! Interessa pouco que está a jogar bem e quem está a jogar mal. Cada jogador, cada equipa que entra neste jogo vai ao fundo do seu coração buscar a inspiração e a motivação para se superar, para ultrapassar as expectativas criadas e mostrar que, contra o eterno rival, tudo o que aconteceu antes do apito pouco vale. 


Esta atitude explica-se porque Sporting e Benfica, como Caim e Abel, são as faces da mesma moeda. Fundaram-se quase no mesmo tempo e desde o 1º momento viveram à sombra da rivalidade entre ambos. Um oriundo das gentes humildes e de antigos casapianos apenas com a vontade de jogar e pouco mais para levarem por diante o projecto do Sport Lisboa. Outro criado pelas elites da cidade que viam na prática desportiva e no futebol uma forma saudável de ocupar os seus tempos livres. Francisco Stromp e Cosme Damião. E logo desde esses tempos, a rivalidade ultrapassou o que se passava dentro de campo, com jogadores de reconhecido talento a trocarem de clube, por vezes por razões tão simples como um duche quente depois do jogo...

Para mim, a primeira memória que tenho desta rivalidade foi quando tinha 7/8 anos e na escola primária, no intervalo das aulas, escolhia como ídolos os jogadores do Benfica. Invariavelmente um deles era o Carlos Manuel e a dor que foi vê-lo de "pijama" verde e branco. 

Como também foi uma angústia as férias de Verão  de 1993 entre a Fuzeta e o Alentejo, quando não havia Internet e o jornal chegava quase sempre no dia seguinte. A novela entre Sousa Cintra e Jorge de Brito, a batalha perdida por Paulo Sousa e Pacheco contra a redenção e esperança na manutenção do menino de ouro, João Vieira Pinto. Para tudo se fechar no mítico derby de Alvalade (14 de Maio de 1994) em que um motivado e confiante Sporting (liderado por Carlos Queirós) pareceu não ter misericórdia perante um titubeante Benfica (treinado por Toni) mas que, pela batuta de JVP, soube ir ao fundo do seu coração buscar a força e esperança para vencer e convencer com aqueles históricos 3-6.

O caminho nunca foi simples para o Sport Lisboa e Benfica. E não fossem as suas gentes, os seus adeptos e o clube teria desaparecido em várias ocasiões. Espero que os sportinguistas se unam e consigam ultrapassar esta fase menos positiva. Para sermos gigantes, precisamos de grandes adversários. Ao longo da nossa História, o Sporting tem-no sido (mesmo quando se ultrapassam os limites da decência). Precisamos disso. E a começar já no Domingo. 

Porque para atingirmos a glória que esperamos, há que trilhar o difícil caminho com humildade, querer e dedicação!

Pedro Martins
Sócio nº 27373 

2 comentários:

  1. patriarca disse:


    Enquanto NÓS Benfiquistas tratamos A Lagartagem Nojenta como SIMPLES ADVERSÁRIOS, essa Gentalha trata-nos como INIMIGOS, porque e como não têm vontade próprias, vão pelas Submissões aos Porcos Corruptos, aos quais se colocam de cócoras.
    O Sistema não dorme e SERÁ bom que os Dirigentes do Benfica também não, para os conseguirmos VENCER.

    ResponderEliminar
  2. Boas, podem colocar o meu Blog sobre o Benfica na vossa lista de blogues do Glorioso ? Depois faria o mesmo.

    O meu Blog: http://agendadoglorioso.blogspot.pt/

    Saudações benfiquistas

    ResponderEliminar